Traficantes decretam luto no Caramujo, em Niterói

Dois homens morreram em ação do Batalhão de Operações Especiais na comunidade da Zona Norte. Suspeitos foram socorridos, mas não resistiram aos ferimentos

Dois suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas foram mortos nesta terça-feira em ação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) no Complexo do Caramujo, na Zona Norte de Niterói.

No fim da manhã, criminosos da região ordenaram o fechamento do comércio em sinal de luto pela morte dos homens no confronto com a polícia.

Com os dois suspeitos, que ainda não foram identificados, foram apreendidos dois fuzis, um Ruger e um MD 2. Além das armas, foram apreendidas 406 cápsulas de cocaína, 286 papelotes de maconha e 36 pedras de crack.

Os policiais do Bope foram até a comunidade devido a seguidas ocorrências em que policiais do 12º BPM (Niterói) e do Batalhão Policial de Choque (BPChq) foram atingidos por traficantes de drogas da região. 

Os criminosos baleados durante a troca de tiros de ontem chegaram a ser encaminhados para o Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, onde foram atendidos, mas não resistiram aos ferimentos.

A localização dos traficantes foi repassada através de uma denúncia anônima. Quando os policiais militares chegaram ao local, foram recebidos a tiros pelos criminosos.

Caçada – De acordo com os militares, a intenção era encontrar o traficante conhecido como Tneném, que seria o homem que controla a venda de entorpecente na comunidade, ligada à facção criminosa Comando Vermelho (CV).

Apesar de não ter nenhum mandado de prisão em aberto, o criminoso já possui anotações criminais por homicídio, desaparecimento e tráfico de drogas, sendo a maior parte das passagens pela 78ª DP (Fonseca), onde o caso foi registrado na manhã de ontem.

Luto – No final da manhã, traficantes da região enviaram uma ordem aos comerciantes do Caramujo para que fechassem as lojas a partir do início da tarde em luto pelos dois rapazes que foram mortos.  

Uma moradora que preferiu não se identificar contou que ao saber da determinação dos criminosos foi à escola onde a filha estuda para confirmar se haveria aula. 

“A professora falou que funcionou apenas na parte da manhã, mas à tarde e à noite não haveria aula por conta dos acontecimentos”, disse a moradora.

Já na entrada do bairro era possível perceber alguns estabelecimentos fechados durante o horário comercial. Uma estudante do turno da manhã, ainda assustada, disse que sua turma foi liberada mais cedo. 

“As professoras estão mandando os alunos irem embora porque o clima na comunidade está muito ruim para deixar os alunos em sala de aula”, afirmou a aluna que também preferiu não se identificar.





Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br




Data do artigo: Qua, 29 de Maio de 2013

Share to Facebook Share to Twitter Share to Linkedin 

Curtir no Facebook

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

enquete

Qual o seu Time de Coração?