Moradores de Niterói e SG reclamam da falta de água

Moradores do Engenho Pequeno, em São Gonçalo, recorrem a poços. Foto: Marcelo Feitosa

Segundo a Cedae, problema ocorreu em função da manutenção do Imunana Laranjal. Em São Gonçalo a falta de abastecimento foi relatada por vários moradores do Engenho Pequeno

Em São Gonçalo a falta de abastecimento de água foi relatada por vários moradores do Bairro Engenho Pequeno, estando a Rua Mentor Couto, uma das principais vias da localidade, entre as afetadas.

Segundo a Concessionária de Água e Esgoto do Estado (Cedae), responsável pelo fornecimento no município, o problema ocorreu em função de paradas do Imunana Laranjal para manutenção e obras. Essas intervenções tiveram reflexos também em Niterói, onde a interrupção do fornecimento no dia 23 fez com que a moradora do Largo da Batalha denunciasse a não regularização no abastecimento.

No Largo da Batalha, em Niterói, a moradora Juliana Falcão Carino denuncia que na Rua Francisco da Cruz Nunes, onde mora, o abastecimento de água ainda não foi regularizado desde o dia 23, quando foi interrompido devido a um problema elétrico na subestação do sistema Imunana Laranjal.
“Não tem como fazer comida, lavar roupa. As pessoas que tem cisternas ainda estão com água, mas na minha casa a caixa já está vazia”, informa Juliana.

Em São Gonçalo o problema apresentado, segundo os moradores, perdura há mais tempo. No bairro Engenho Pequeno, algumas ruas estão sem receber água há quase um mês. Com isso, muitos moradores têm feito reservas, adquirido água através de caminhões pipa e poços, que já não estão mais suprindo completamente as necessidades.

Segundo a coordenadora pedagógica da Associação Assistencial Educacional Vitória Régia, que funciona na Rua Mentor Couto, Maria das Graças Pacheco, a falta d’água tem sido motivo de lamentação de muitos pais de alunos, preocupados por não ter condição de enviar os filhos para a creche.
“Algumas crianças tem faltado às aulas por conta de não ter água em casa, o que prejudica o banho, lavagem de roupas. Aqui na escola nós estamos comprando pipa para manter o funcionamento”, explica a coordenadora.

Moradora da Rua Mantiqueira, a aposentada Iracema Tavares de Souza, conta apenas com o poço que tem no quintal para ter água, justificando que, mesmo utilizando bomba para puxar, a caixa d’água está vazia de tanto tempo que não tem abastecimento na localidade. “Há mais de três semanas que não cai água, ligamos a bomba, mas não tem água, então eu conto mesmo é com o poço, que nesse período já nem está tão cheio como costuma ficar”, diz a aposentada.

A Águas de Niterói também confirmou que o abastecimento já está sendo normalizado no município, informando que o fornecimento foi interrompido na semana passada por conta de intervenções no sistema Imunana Laranjal, operado pela Cedae.

Em nota a Cedae informou que o fornecimento seria regularizado nas próximas horas. Justificando que as paradas do Imunana Laranjal para manutenção preventiva e obras de ampliação da rede, previamente comunicadas à mídia, foi o que afetou o abastecimento.


O Fluminense




Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br




Data do artigo: Ter, 29 de Outubro de 2013

Share to Facebook Share to Twitter Share to Linkedin 

Curtir no Facebook

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

enquete

Qual o seu Time de Coração?