Vizinhos denunciam foco de dengue em Piratininga na Região Oceânica

A piscina e o quintal do imóvel estão descuidados e são um convite à proliferação do mosquito transmissor da doença. Foto: Marcelo Feitosa

Segundo moradores imóvel desocupado na Rua Doutor Salomão Vergueiro da Cruz no bairro tem piscina sem manutenção com água parada que pode estar sendo criadouro do mosquito

Uma casa que se encontra desocupada na Rua Doutor Salomão Vergueiro da Cruz, em Piratininga, está deixando os moradores da vizinhança apreensivos. Com uma grande piscina e um quintal sem manutenção, o local é apontado pelos moradores da redondeza como o principal criadouro do mosquito Aedes aegypti, principal transmissor da dengue.

“O meu marido teve dengue no começo de dezembro. Ficou de cama por muito tempo, foi horrível. Estamos convivendo nos últimos meses com uma infestação de mosquitos por causa dessa piscina abandonada. E não é só a dengue o problema, mosquitos transmitem uma série de doenças, por isso fico bastante preocupada”, disse a artesã, Valéria Barros, que mora na casa em frente ao imóvel desocupado.

De acordo com os moradores, o problema é antigo, já que o imóvel está vazio há cerca de seis meses, mas tem se intensificado com a chegada do verão e o aumento do calor. Eles alegam que já procuraram a proprietária da casa, que enviou uma equipe até o local e fez a capina da vegetação do quintal, deixando a piscina de fora da manutenção. O acúmulo de água da chuva tem formado o ambiente prefeito para a proliferação do mosquito transmissor da Dengue.

O advogado, Alberto Louvera, de 55 anos, também é vizinho da casa e diz que vem tentando resolver o problema de abandono do lugar, sem obter sucesso.

“Eu liguei para a Vigilância Sanitária no final de novembro. Eles disseram que viriam em 10 dias, mas até hoje não vieram. A minha esposa chegou a conversar com a proprietária sobre a casa e ela falou que ia dar um jeito e não fez nada. É preocupante porque ficamos vulneráveis a contrair a dengue”, disse.

Denúncia – A Prefeitura de Niterói esclarece que, pela estratégia de trabalho adotada no combate aos focos da dengue na cidade (um mesmo agente trabalhando sempre no mesmo lugar), é possível identificar os imóveis que estão abandonados e representam risco. A população também pode colaborar, denunciando através do Disque Dengue: 2621-0100. 

Quando um possível foco é identificado pela equipe da Secretaria de Saúde, o proprietário do imóvel é notificado através de carta e, caso não seja disponibilizada a visita, aplica-se a legislação fiscal, com multas iniciais em torno de R$ 800, que podem ser multiplicadas a cada reincidência. 

“De acordo com a legislação vigente, os agentes não podem forçar a entrada em um imóvel fechado sem antes o proprietário ter recebido diversas notificações e multas”, esclarece a Prefeitura por meio de nota. 


O Fluminense




Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br




Data do artigo: Sáb, 11 de Janeiro de 2014

Share to Facebook Share to Twitter Share to Linkedin 

Curtir no Facebook

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

enquete

Qual o seu Time de Coração?