Mais agentes para a Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo

Delegado espera contar ainda essa semana com todos os 170 agentes designados para trabalhar na unidade. Foto: Evelen Gouvêa

Unidade recebeu 20 inspetores e cinco papiloscopistas. Delegacia aguarda também a chegada de cinco peritos criminais. A DHNISG agora conta com 150 agentes

A Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) recebeu ontem cerca de 20 inspetores, que irão compor o efetivo da unidade, e cinco papiloscopistas, responsáveis pela perícia técnica.

A DHNISG agora conta com 150 agentes e, de acordo com o delegado titular Wellington Vieira, até o final desta semana já estará com o quadro completo, aguardando ainda a vinda de cinco peritos criminais.

A expectativa do delegado titular da DH é de que ainda essa semana todos os 170 agentes designados para trabalhar na unidade já tenham se apresentado. Wellington Vieira aguarda também a chegada dos cinco peritos criminais, que a princípio estava prevista para março, mas pode ser antecipada, que, junto com os cinco papiloscopistas que começaram a trabalhar na unidade ontem, irão reforçar a área técnica da divisão.

“Estamos aguardando a chegada de mais vinte policiais. Todos que se apresentaram hoje (ontem) já estão alocados, a maioria estava só aguardando para vir para a DH, com isso, essa semana todos os 170 estão apresentados. Já chegaram também cinco papiloscopistas, que inclusive já estão trabalhando em uma investigação que está em andamento, e estamos aguardando os peritos criminais”.

Com três semanas de funcionamento na nova sede, localizada no antigo prédio da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae), no centro, as obras de reforma continuam. No local, próximo a carceragem, está sendo reformada uma área onde funcionará a sala de interrogatório, nos padrões da DH do Rio de Janeiro. E, além das melhorias de efetivo e estrutura, a DH contará ainda com equipamentos mais modernos, rastreamento de munições, serviços de retrato falado e psicólogos. 

Papiloscopia – A perícia papiloscópica da unidade, composta por cinco profissionais, começou ontem a investigar os casos registrados na DH. Com isso, toda a parte de coleta, arquivamento e comparação de digitais que cabem em uma investigação de homicídio passam a ser feitos na própria divisão.

A divisão, que desde o dia 8 passou a receber todos os homicídios ocorridos em Niterói, Itaboraí e São Gonçalo acionou os técnicos para análise do material encontrado no carro de Anderson Dias Campos, de 24 anos, morto, e Luan Figueiredo de Jesus, baleado, na tarde de domingo, 19, no Ingá.

O veículo e todo o conteúdo encontrado dentro dele foram analisados, com retirada de impressões digitais, que serão comparadas com os dois ocupantes.





Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br




Data do artigo: Ter, 21 de Janeiro de 2014

Share to Facebook Share to Twitter Share to Linkedin 

Curtir no Facebook

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

enquete

Qual o seu Time de Coração?