Paralisação no Comperj: movimento de greve reivindica reajuste salarial

Petrobras diz que greve é de terceirizados e não vai impactar no andamento das obras. Foto: Arquivo

Montadores, soldadores, maçariqueiros, pedreiros, encarregados, eletricistas, técnicos, ajudantes e outros profissionais pararam suas atividades dentro da refinaria

Mais de 8 mil trabalhadores do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, fizeram um protesto, na manhã desta segunda-feira, por melhores salários.

E nesta terça-feira, eles prometem uma nova paralisação, dessa vez reunindo mais de 25 mil trabalhadores.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e Mobiliário de São Gonçalo e Região Manoel Vaz reuniu-se, nesta segundao-feira, com os trabalhadores para ouvir as solicitações. “Eles estão reivindicando melhores salários, que não estão compatíveis com os mesmos profissionais da área. Amanhã (hoje), vamos fazer uma assembleia para discutir essa questão”, afirma.

Segundo Manoel Vaz, além do reajuste, eles reivindicam, exclusão da cobrança da coparticipação do plano de saúde e garantia de passagem de retorno no final do ano para os trabalhadores que moram em outros estados. “Queremos remuneração compatível com o mercado. O salário que temos não condiz com o nosso trabalho na refinaria. Estamos tentando acertar isso com o sindicato”, revela o trabalhador Alex de Almeida.

De acordo com o Alex, caso não haja um acordo, os funcionários poderão manter a paralisação por tempo indeterminado.

Dia de trabalho perdido- A Petrobras não se pronunciou sobre a manifestação. Montadores, soldadores, maçariqueiros, pedreiros, encarregados, eletricistas, técnicos, ajudantes e outros profissionais pararam suas atividades por volta das 8h, dentro da refinaria. Segundo a Petrobras, o movimento envolve funcionários de empresas terceirizadas.

“De um total de 14 mil funcionários, cerca de 5 mil trabalhadores, pertencentes a quatro consórcios, aderiram ao movimento”, explicou, dizendo, no entanto, que o movimento não terá impacto para o andamento das obras.

 

 



Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br

 



 


Data do artigo: Ter, 08 de Novembro de 2011

Share to Facebook Share to Twitter Share to Linkedin 

Curtir no Facebook

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

enquete

Qual o seu Time de Coração?